segunda-feira, 22 de julho de 2013

TENHO MESMO QUE CRESCER?!

Por BRUNA THALITA SILVA

Esses dias, recebi uma mensagem pedindo para que eu escrevesse sobre maturidade. Acho o tema super legal e temos ministrado sobre este tema na minha igreja este ano. Então tenho muito a falar sobre maturidade. Afinal, chega uma hora que todos nós temos que amadurecer, é parte da vida.


É verdade que existem muitas pessoas que amadurecem mais rápido do que outras, isso pode ser por várias circunstâncias e situações da vida, talvez algum trauma, uma perda, uma dificuldade. Mas, neste artigo, não quero discutir sobre qual o momento certo para amadurecer, mas sim o fato de que todos nós temos que amadurecer, em algum momento da vida.

A Bíblia nos fala em 1 Coríntios 13, versículo 11 que “quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.” Acho que esse versículo tem muito a nos ensinar, primeiramente porque hoje em dia as crianças tem buscado a maturidade muito cedo, mas quando chegam a juventude e a idade adulta se esquecem de serem maduros.

Aqui a Palavra diz que quando eu era menino, agia como menino, ou seja, quando sou criança posso agir como criança, não tem problema ser criança e agir com certa imaturidade, afinal ainda não é hora de ser adulto. Logo depois, o versículo diz que quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino, ou seja, quando chegar o tempo certo, a hora certa, ai sim será necessário deixar as coisas de menino para trás e caminhar com maturidade. 

O que quero dizer é que há tempo para todas as coisas debaixo do céu (Eclesiastes 3). Há um tempo para ser criança, mas também há um tempo para amadurecer.

Crianças tentando deixar de ser crianças, e adultos querendo voltar a ser criança. É assim que tem sido, mas é assim que, na minha opinião, não deveria ser. Acredito que crianças deveriam aproveitar a fase da infância e adultos deveriam valorizar a maturidade.

Quando falo sobre isso, me lembro da minha infância, eu sempre busquei ser uma criança mais madura. Talvez tenha perdido um pouco da infância porque estava preocupada demais em ser adulta. Quando a juventude chegou, percebi que eu precisava aprender a ser jovem porque ainda não era hora de ser adulta. 

Quando somos crianças, não temos responsabilidades nem preocupações e nem necessidade de sermos maduros, nem de avaliarmos nossas atitudes hoje que afetarão o futuro. Mas quando a juventude chega, precisamos de começar a desenvolver essas habilidades e entrarmos na maturidade. Mas quando a idade adulta chega, não há mais espaço para a imaturidade, temos responsabilidades e preocupações. 

É por isso que eu precisei aprender a viver cada fase, a entender que na juventude é normal nos esbarrarmos em certos perguntas e que não tem problema pedir ajuda e dizer que você não sabe alguma coisa.

Sempre falo para as minhas discípulas que não quero que elas pulem fase, mas também, não quero que elas atrasem fases. É necessário viver as coisas ao seu tempo. Mesmo que você tenha um amigo ou conhecido que para você essa pessoa seja mais madura que as pessoas da idade dela, quero te contar que alguns conflitos são comuns, porque nem a maturidade precoce pode nos livrar de viver as questões relacionadas ao tempo. E essa maturidade muito precoce pode não ser muito boa, porque te impede de viver o que se tem que viver.

E ai, será que temos que crescer mesmo? A resposta querido, é SIM, precisamos crescer e amadurecer, mas vivendo tudo no tempo certo. Afinal, maturidade também é saber viver tudo no tempo certo. As coisas de menino quando eu for menino, e de homem quando eu for homem.

Então se lembre, se todos os dias você chega mais perto da idade adulta, então todos os dias você caminha para mais perto da maturidade...

Que nesta semana o Senhor te encha de maturidade e sabedoria para amadurecer.

Deus os abençoe e excelente quarta-feira!

Beijinhos!

Bruna Thalita Silva
Meu Twiter: @bruna_thalita
Meu Face: Bruna Thalita
Meu Email: bru.thalita@gmail.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário